segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

31 Dias Meme: Dia 01 – Sua música favorita

Minha relação com a música é algo muito interessante. Não sei cantar, não sei tocar nenhum instrumento e acredito que não danço bem. Mas apesar da natureza não ter me dado uma veia musical, por algum motivo, eu AMO OUVIR MUSICA!!

Se pudesse passaria o dia todo escutando músicas, pois acredito que exista um tipo adequado para cada ocasião: Musica Clássica para estudar, MPB para relaxar e conversar, World Music para dormir, Pagode para tomar uma cerveja no sábado e assim vai...

Com as pessoas da minha vida não é diferente, cada uma tem uma música que basta tocar a introdução para eu, imediatamente,lembrar dela. Sempre que escuto "Brincar de Viver", da Maria Bethânia, lembro da minha mãe; "Baby Cry", da Janis Joplin, só me lembra o meu marido e "entreolhares", da Ana carolina já é a trilha sonora minha e do Heitor.

Esses são somente alguns exemplos, cada pessoa marcante na minha vida acaba tendo uma música para mim...

Mas sim, minha música favorita, aquela que meu coraçãobate mais forte sempre que escuto é "Metal Contra as Nuvens", do Legião Urbana. Ela é a escolhida dentre tantas também favoritas por me trazer lembranças maravilhosas da minha adolescência ao lado das minhas amigas queridas.
Além da letra e melodia maravilhosa, casada com a linda voz do Renato Russo, esta música já embolau muitos momentos importantes da minha vida, sempre me emocionando e me dando força ao escutar suas ultimas frases:

"E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar.
E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.
O mundo começa agora
Apenas começamos."


P.S: Como não sei inserir vídeo do Youtube aqui, coloquei o link no nome da música, ok?! Quem quiser escutar e se emocionar, fique à vontade!!!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Aniversário e Desafio para mim!

Ontem foi meu aniversário e também um dia mto feliz. Não houve festa, mas comemorei como não comemorava há muito tempo. Não sou daquelas pessoas super empolgadas com aniversário, mas gosto de que seja um dia gostoso, uma vez que fico muito feliz por ter saído da barriga da minha amada mãezinha e tido a oportunidade de viver tantas coisas aqui no mundo extra-uterino.

Ontem foi exatamente assim meu dia, GOSTOSO. Minha avó fez uma galinha caipira como só ela sabe fazer, e assim tive oportunidade de almoçar com a minha familia ( o que é sempre legal pois eles são mto engraçados quando estão juntos!); encontrei com minhas eternas amigas e passamos a tarde "fazendo nada", só na manha (de quebra ganhei delas um perfume que eu adoro!!); fui jantar num restaurante japonês delicioso com as minhas amigas de faculdade e  encerrei a noite indo pra casa do meu pai, onde fui recebida(apesar de já ser mais de 11 da noite...) com um bolinho caseiro de chocolate feito pela minha irmã e um "parabéns pra vc.." bem familiar e legal.

O melhor de tudo, este foi o primeiro aniversário que passo ao lado do Heitor. E apesar dele ontem estivesse meio enjoadinho, se comportou como um maravilhoso Lord que é! Acho que meu dia seria perfeito, se não fosse o fato de estar longe do meu maridinho, e não poder receber nenhum beijo dele...Mas logo isso chegará ao fim!

***

Pois bem, me empolguei com esse clima de aniversário e resolvi pegar emprestada no Blog Sem Firulas a idéia do 31 dias sobre mim. Apesar de eu achar que o nome dispensa maiores explicações, a idéia é que eu fale sobre mim em 31 dias e cada dia é um tema diferente proposto.

Eu tenho consciência que não postarei um tema por dia, mas prometo que vou fazer todos os temas do desafio, mesmo que leve uma vida!rsrrsrs


Olha os 31 memes:

Dia 01 – Sua música favorita
Dia 02 – Seu filme preferido
Dia 03 – Seu programa de televisão favorito
Dia 04 – Seu livro favorito
Dia 05 – Uma citação de alguém
Dia 06 – Uma experiência inesquecível
Dia 07 – Uma foto que te faz feliz
Dia 08 – Uma foto que te deixa irritado / triste
Dia 09 – Uma foto que você tirou
Dia 10 – Uma foto de você há mais de dez anos
Dia 11 – Uma foto sua recente
Dia 12 – Um conto
Dia 13 – Um livro de ficção
Dia 14 – Um livro não-ficcional
Dia 15 – Uma fotomontagem
Dia 16 – Uma musica que faz você chorar (ou quase)
Dia 17 – Uma obra de arte (pintura, desenho, escultura, etc)
Dia 18 – Um poema
Dia 19 – Um talento seu
Dia 20 – Um hobby
Dia 21 – Uma receita
Dia 22 – Um site
Dia 23 – Um vídeo do YouTube
Dia 24 – Seu lugar preferido
Dia 25 – O seu dia, em grande detalhe
Dia 26 – Sua semana, em grande detalhe
Dia 27 – Este mês, em grande detalhe
Dia 28 – Este ano, em grande detalhe
Dia 29 – O que você espera, os sonhos e planos para os próximos 365 dias
Dia 30 – O que você quiser
Dia 31 – O Bônus ou O Fim

Amanhã postarei o primeiro dia.Tenho que me concentrar para falar sobre musica...ainda mais sobre a minha favorita!



Bjos!!

domingo, 28 de novembro de 2010

Selos!

Estou ainda meio sem tempo pra escrever o post que estou de fazer sobre o Bullying, mas resolvi dar uma passada para falar sobre os selos que ganhei nesses dias.
Isso mesmo eu disse SELOS, no plural!! Fiquei super feliz em ser lembrada pela Laudiane e pela Ana, já que são pessoas que estou, cada dia mais, criando um vinculo bacana...
Pois bem, vamos aos selos...

O primeiro vem da Lau, do blog Lauconfessions  e é uma fofura de selo!

Ele possui duas regras e a primeira é responder ao questinário..então lá vamos nós!

Questionário:
1- Barzinho ou balada?
Ai, o que mais gosto ou o que tenho ultimamente? bem prefiro barzinho, mas ultimamente só tenho ido para a balada da cama!!

2- Beijo na boca ou abraço?
 Só consigo pensar em volta a ter beijo na boca....ai, ai...
3- Café ou coca-cola?
Os dois, só assim tenho conseguido me manter acordada para os afazeres do dia.
4- Limonada ou caipirinha?
Caipirinha, mas muito de vez em quando.

5- Salto alto ou rasteirinha?
Rateirinha total!! Amoooo!!

6- Batom ou rímel?
Rimel, adoro olhos marcados.

7- Frango ou peixe?
Frango com certeza,mas tem que ser o peito.

8- Saia ou calça jeans?
Ultimanente estou aceitando melhor a saia, mas continuo preferindo calça jeans.

9- Cinema ou praia?
Cinema para os fins de semana e praia nas férias!
10- Livro ou TV?
Livros. Estou com saudade de poder ler algo fora da psicologia...

11- Menina ou mulher?
No gera, bem mais mulher, mas sempre vejo uns traços de menina que não desejo perder mto...

Acho legal esses selos porque acabamos conhecendo melhor a pessoa que responde, e espero que ajude a desvendar um pouco de mim essas perguntas. Mas passando para a próxima regra...
Indicar 5 blogs para participar tbm desta brincadeira.

1- Balde, Areia e Balanço
2- Mãe do felipe
3- Lulu Não Dorme
4- Descontruindo a Mãe
5- Inventando com a Mamãe


Agora indo para o segundo, que a Ana, do Balde, areia e balanço, me indicou. Adoro essa imagem, acho tudo esse baby dormindo de bundinha pra cima!!


Regras:
1 -Amo ser Mãe:
-Porque descubro diáriamente que posso ser mais e melhor do que acreditava que poderia ser.
-Porque recebo sorrisos quase banguelas de tudo e por nada.
-Porque é maravilhoso ver o bebê que saiu de dentro de mim aprender e se desenvolver.
-Porque é muito bom vc imaginar qual faculdade vai cursar seu filho que ainda nem sabe falar.
-Porque é bom ver o fruto de uma relação que contém muito amor e cumplicidade se juntar e formar uma família.


2 - Indicar 5 mamães blogueiras:

- Verdades de Mãe
- Piscar de Olhos
- Aprendiz de Mãe
- Lauconfessions
- Mãerina


Meninas, muito obrigada mais uma vez. Receber selos acaba sendo um estímulo para continuar escrevendo pois serve como um feedback dos leitores do blog.
Bjos a todas que visitam e espero ter tempo logo, pois tenho muuuita coisa pra contar!!

domingo, 14 de novembro de 2010

Olá pessoas!
Essa semana estou finalizando meus artigos de conclusão de curso por isso não postarei nada mto significativo por aqui. Mas estou preparando um post sobre o Bullying, pois acho um assunto super importante para ser abordado, principalmente por que muitas pessoas fazem e nem percebem, outras fortalecem a prática tambem sem perceber.
Acho que foi a Ingrid, do Desconstruindo a Mãe que propos este tema como forma de blogagem coletiva e eu super concordo com ela.
Ah, só pra finalizar, depois de encerrar meu artigo sobre os blogs vou escrever um pouco sobre ele por aqui, ta certo?!

Vou ficando por aqui, bjos!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Sobre Mudanças...

Quando pensamos em mudança sentimos um frio na barriga quase que imediatamente. Por que será que sentimos tanto medo das mudanças? Bem, eu não sei ao certo a resposta para essa pergunta, mas posso dizer um pouco do que me causa medo.
Acho que todos nós trememos um pouco diante do novo. A incerteza do que vamos encarar pela frente sempre nos faz pensar com cautela sobre a mudança...Porém muitas pessoas permanecem estagnadas por medo de encarar as novidades da vida, acreditando que o seguro morreu de velho e que seguro mesmo é continuar naquilo que já se conhecem. Uma grande besteira!!
Imagina o tanto que perderíamos se continuássemos sempre apostando nas coisas antigas! Não conheceríamos lugares diferentes, nem pessoas novas. Saberíamos muito pouco ao nosso próprio respeito (pois acredito que  só nos conhecemos de verdade quando saímos da nossa zona de conforto) e, o mais importante, não coneguiríamos lidar com os imprevistos da vida! Ou seja, quem não dá chance para o novo não vive!
Por que falar sobre mudança hoje? Por que ultimamente ela tem me feito sentir aquele frio na barriga.
Estou no fim do meu curso superior, me preparando para a vida profissional e para a incerteza de se ter um diploma na mão e um mercado de trabalho pela frente. Fora isso, estou próximo de me mudar de cidade e comprovar que, apesar de muitas vezes ter parecido, não vivo no "Show de Truman". E acredito que a mudança mais profunda e também mais delicada que passarei dentro de 2 meses é a de , após um ano de distância, voltar a morar junto com meu marido. 
Por que é a mudança mais delicada? Por que além de termos que nos reaproximar, teremos que aprender a conviver em família, não mais como um casal, mas como pai, mãe e filho. De certa forma, nesses seis meses acabei me acostumando a ser mãe sozinha, tendo toda atenção do Heitor para mim, assim como toda a responsabilidade também. 
Confesso que estou louca pra dividir as responsabilidades e também o carinho, pois sei o quanto é importante ter a presença de pai e mãe para a criança, mas confesso que tenho medo de não saber lidar bem com isso. De ficar com ciumes, tanto do meu filho, quanto do meu marido.
Ah, sei lá...acho que isso é um grande desabafo...quem sabe pode nem acontecer nada, e o processo de adaptação ser muito mais tranquilo do que eu imagino. Provavelmente é assim que acontecerá, uma grande tranquilidade. 
Mas as mudanças causas justamente isso conosco, essa tentativa de previsão do futuro. Em pessoas como eu esse drama é até comum...mas tudo não passa do medo e da incerteza do que o futuro nos reserva. Queremos estar preparados para as muitas possibilidades, mas esquecemos que a vida se encaminha por conta própria e que quando imaginamos não ter a saída para determinada situação eis que se apresenta um que até então não tinhamos parado para reparar!
Essa é realmente a grande maravilha da vida!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um dor sem igual!

Um dia desses escutei uma fala de uma mãe que havia perdido seu filho em relação ao que ela sentia sobre o luto: " as pessoas acham que sabe como eu me sinto, mas na verdade elas não sabem.".Não existe frase mais correta do que a dela,pois por mais que alguém passe pela mesma situação jamais saberá como uma outra pessoa se sente, ainda mais diante de uma situação tão forte que é perder um filho.
Hoje não vou tentar me colocar no lugar da Aline,do Blog Vivo e Sinto, vou simplesmente me concentrar para mandar muita força para ela, torcer para que a fé, até o momento intacta, continue firme e siga fortalecendo cada dia mais e que aos poucos, junto com todo o processo do luto, ela consiga elaborar essa perda. Saindo disto tudo mais forte do que nunca!
Sem mais palavras.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

BLOGAGEM COLETIVA: VÍNCULO

Não sei se por cursar psicologia, mas sempre tive muita preocupação com o vínculo que construiria com meu filho, mesmo antes de ficar grávida.Sei da importância que um bom vínculo tem para o bom desenvolvimento emocional da criança, pois a mãe é a primeira experiência da criança com o afeto e é a partir desta vivência que ela vai aprender a se vincular com outras pessoas.

O meu vínculo com o Heitor é baseado no toque. Sinto que meu amor por ele é tão grande que parece que nenhuma palavra conseguira passar esse sentimento de felicidade que sinto quando estou ao seu lado. É assim desde a barriga.

Minha  mãe reclamava muito porque não me via falando com a minha barriga, e por isso achava que eu não conversava com meu filho. Porém minha conversa com ele acontecia em outro nível. Acredito que ele sentia quando eu estava feliz e tirando um tempo só para ele.Mesmo no silêncio, me concentrava para passar todo o amor que existia dentro de mim para fazê-lo crescer forte e saudável.

Hoje continuamos assim, Costumo trocar 'segredinhos' com ele, dizendo o quanto ele me faz feliz e o quanto o amo. O mais gostoso é que percebo que ele escuta os meus sussurros, fica bem quietinnho, prestando atenção no que tenho para lhe falar e depois me delicia dando sorrisos gostosos. Fora isso, acabo sempre me surpreendendo com o quanto meu filho é carinhoso, apesar de ter apenas 6 meses. Ele adora carinhos e quase sempre, quando vou reparar, estamos com nossas mãos dadas, fazendo carinho uma na outra.

Bem, esse é um pouco do vínculo que tenho com meu filhote. Mas para a Blogagem Coletiva mesmo gostaria de falarsobre outro vínculo: o do meu filho com o seu pai.

Poucas sabem, mas faz quase 1 ano que meu marido foi morar em Rio Branco-AC. Quando ele se mudou minha barriga ainda não era evidente e ele não estava presente nos primeiros chutes do bebê e nem podia conversar sempre com a minha barriga feito um bobo.
Durante muito tempo me preocupei ( e confesso que ainda me preocupo muito) com a forma que o apego entre eles aconteceria, já que desde que ele se mudou nos encontramos apenas 4 vezes.

Todas as noites eu e o meu marido os falamos por telefone (graças à maravilhosa TIM Infinity) e eu tento contar em detalhes todo o desenvolvimento diário que percebo no Heitor, na tentativa de mantê-lo por dentro de tudo que rola com nosso filhote. Uma saída que acabei encontrando para fortalecer o vínculo entre os dois foi fazer com que eles 'conversassem' pelo celular. Como?? Pelo Viva-Voz!

Aciono o Viva Voz do celular e o meu marido fica falando com o Heitor, enquanto este tenta roubar o telefone da minha mão para comê-lo. Eu acredito que a idéia tem dado certo, pois sempre que meu filho vê o celular ou escuta um "Alô Papai!" fica todo animado, esperando aquela voz do outro lado da linha.

Através desta conversa diária entre pai e filho, meu marido sente menos distante de nós e sei q escutar os gritinhos do Heitor faz tão bem à ele quanto escutar as 'babações' do Semmys faz bem ao Heitor.

Todo vínculo é lindo, mas vejo uma beleza maior ainda no vínculo criado apesar da distância.Não é fácil manter um vínculo quando nos afastamos, fazer surgir um nesta situação deve ser mais dificil ainda. Por esse motivo acho tão especial a relação destes dois homens da minha vida.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Obrigada!!

Olá minha gente! Muito Obrigada pela participação de vcs!
Quero muito agradecer toda ajuda que recebi nessa semana, com relação ao questionário para o artigo. Por enquanto coletei informações suficientes para concluir esta disciplina. Agora que vem a parte mais complicada que é PARIR o artigo em sí. Acredito que toda essa fase corrida passará logo, pois quero acabar esse artigo até dia 20 e começar o outro logo pra entregar até o dia 09 de novembro!( ah eu disse que finalmente escolhi o tema do meu artigo de Psicologia Clínica??Pois é, vou falar sobre Avaliação e Indicação Terapeutica!)
Tentarei manter sempre atualizado as noticias por aqui, mas espero que compreendam caso eu não consiga, pois preciso, necessito, terminar logo este curso para poder acabar com esse perrengue de viver à 600 km de distância do meu amorzinho.
Ah! como não consegui pensar numa maneira melhor de agreder o apoio que recebi, criei um selinho para aquelas pessoas que divulgaram ou responderam o questionário.

Espero que vcs gostem..e lembrem-se: o que vale é a intenção! Não colocarei aquelas regrinhas para que se distribua o selo, até pq não consegui pensar em nada que combine com o tema do selo. Fica mesmo a idéia de passar para aquele blog que covê acha que lhe ajudou de alguma forma, dando conselho, apoio, rindo junto...você decide o motivo de dar esse selo para alguém!


***

Mudando um pouco de assunto, amanhã estou indo visitar a fotocópia do meu filho, vulgo pai dele e meu amor. Vamos passar o feriadão em família! Estou bem animada porque agora o Heitor está interagindo bem mais do que da ultima vez em que a familia do meu marido o viu. Sabe como é essa mania de mãe querer que todos achem seu filho MARAVILHOSO! Ainda mais quando se trata de família do marido, né?!
Por mais que eu tente deixar de pensar assim, parece que estou em constante estágio probatório com eles, sendo infinitamente avaliada! rsrsrrsrs
Assim que voltar conto algumas novidades!!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Um pedido para todas as mães! (Editado)

Olá gente! Como época de desespero pede medidas desesperadas resolvi dividir mais uma vez meu desespero com vcs.
Como algumas já sabem estou no ultimo ano de psicologia e na minha universidade, ao invés de escrevermos uma monografia, temos que escrever dois artigos relacionados aos estágios obrigatórios que temos que fazer no ultimo ano do curso(isso pouca gente sabe...).Pois bem, os estágios que estou fazendo é em Psicoterapia de Orientação Analítica e em Psicologia Social e neste ultimo o tema do meu artigo são os blogs maternos. Assunto super bacana e novíssimo nesta área( Estou super empolgada em escrever sobre este tema!).
Para que o meu artigo fique legal eu preciso recolher alguns dados e relatos, através de um pequeno questionário que eu preparei para substituir a  entrevista que normalmente seria feita e é neste momento que preciso da ajuda de todas vcs!
Vou postar aqui o corpo do questionário e peço para, quem tiver interesse em participar, que envie as respostas para o e-mail luaugalde@gmail.com.
O que vocês ganham com isso??Bem, todo meu amor e carinho, além de ajudar um baby de 5 meses a não ter a mãe internada na Ala Psiquiatrica do Hospital de Base! Será que precisam de mais motivos???rsrrs

Brincadeiras de lado, segue abaixo os intens que deverão ser respondidos.

*Nome:________________________________________________________
Data de Nascimento: _______________________Estado Civil:______________
Cidade/Estado:___________________________ Profissão: Escolaridade:________________
Número de Filhos:_________________ Idade dos Filhos:_______
Endereço do Blog:__________________________________________

1. Desde quando você possui blog? Com que frequencia você escreve nele?

2. O que o motivou à iniciar sua participação em blog?

3. Você acredita que o blog tenha auxiliado no seu desempenho como mãe em alguma ocasião? Por que?

4. Você acredita que as pessoas que frequentam o seu blog lhe dão apoio emocional no que diz respeito ao seu papel de mãe?Cite uma situação.
É isso. Não disse que era pequeno?!Quem tiver interesse de divulgar meu apelo pode fazer, ok?!Vou ficar ainda mais grata!!!
BJos!!

P.S.: Natalia, obrigada pela dica!!Eu realmente não havia pensado nisso qndo escrevi o post.

sábado, 18 de setembro de 2010

Tenho estado bastante ocupada esses tempos e por isso acabei deixando um pouco de lado as coisas por aqui. Na realidade, até tenho um tempinho como agora (às 2h da manhã), mas normalmente estou tão cansada que o sono me nocauteia e me faz acordar somente em cima da hora de eu me arrumar pra sair, então peço desculpas a todos que acompanhamm o blog. Tentarei voltar a postar uma vez por semana!

Sábado passado o Heitor completou 5 meses e eu não podia deixar de comentar o quanto meu filho tem desenvolvido esses tempos. Da semana passada para cá ele tem cada vez mais ficado sentado sozinho, sustentando sua própria coluna. Ele tem passado a interagir muito mais com as pessoas ao redor e tbm tem demonstrado preferências, se jogando para quem ele quer ( eu sempre perco pra minha mãe nessa hora).

Ele ganhou da minha tia o DVD da "Galinha Pintadinha" e eu comecei a vivenciar aquela fase de ver as coisas um milhão de vezes, não porque ele pede (isso ainda vai demorar um pouco), mas eu coloco por gostar de vê-lo tão entretido com a música da Galinha e, principalmente, por não me cansar de ver a alegria no seu rosto olhando as imagens na televisão!

Estou muito cansada e não consigo mais pensar direito, por isso vou ficando por aqui, deixando uma foto da festa que ele fez na banheira, domingo passado, enquanto estava tentando diminuir o calor.







domingo, 5 de setembro de 2010

Olha, eu tentei. Eu juro! Mas hoje estou completamente sem criatividade, sem assunto mesmo...eu até tenho assuntos mil, mas estou sem cabeça para organizar meus pensamentos...acho que hoje só quero curtir o blog dos outros.. Volto semana que vem...bjinhooosss

domingo, 22 de agosto de 2010

Selinho e desabafo

Obaaa! Recebi meu primeiro Selo e quem me deu foi a Ana, do blog Balde, Areia e Balanço. Como eu não sei bem os procedimentos exigidos pelo Selo, vou copiar os passos que eu vi lá no blog.

Tenho que responder à seguinte pergunta: Para quem o em que situação você teria prazer em olhar com olhos de Garfield?
R: Apesar de eu ter amado a resposta da Ana para os fura-fila. meu olha de total desprezo ultimamente vai para quem insiste em botar fogo nos matos, florestas ou qualquer outra coisa que produza fumaça qndo é queimada. Rondônia está o próprio inferno por causa disso, acordamos e dormimos em meio à uma cortina de fumaça e ainda tem gente burra o suficiente para ajudar a nos lascar mais ainda colocando fogo em lixo, ou matinhos qualquer! Fala Sério, né?! (continuo com esse assunto mais embaixo)

Depois de responder essa pergunta tenho que indicar 5 blogs que gosto:


Saindo do Selinho agora, esses dias está insuportável vivem em Porto Velho-RO devido à seca que estamos passando, mas mais ainda devido à fumaça que está tomando tomou conta da cidade nesses ultimo mês. Para quem não conhece como as coisas ocorrem por aqui, sempre nesta época de estiagem da chuva nós sofremos um pouco, pois algumas pessoas ignorantes, e provavelmente sem amor aos pulmões, aproveitam o tempo mais seco para acabar com o matagal que cresce na época das chuvas e ateiam fogo em grandes lotes de terra e em outros nem tão grandes assim.
Ocorre que este ano a seca está mais forte (como tudo com relação ao clima este ano) e nem sei mais qual foi a ultima vez que vi gotas de chuvas batendo no telhado da minha casa. O resultado desta falta de chuva e das intensas queimadas no nosso querido estado e cidade foi um fumacê sem fim, que nos faz ter um vizual de um cidade serrana (onde as nuvens são mais baixas e tals), mas a sensação de viver numa Olaria de tanto ar poluido que respiramos.
 Mas o pior resultado é como isso tem afetado a saúde de todos os morados daqui. Eu mesma estou constantemente com meus olhos ardendos, minha garganta seca e inflamada, com dor de cabeça e com a impressão de que tem sempre algo pegando fogo pela casa. O que me deixa menos irritada é o fato do Heitor não ter ficado doentinho, pois as crianças estão lotando postos de saúde para fazer nebulização.
Mas não ficar doente não significa que ele não tem se afetado com todo esse transtorno, ele tem estado irritado, com mais vontade de mamar e com a pele descamando(apesar do banho de hidratante que dou nele diariamente).

A saída que encontrei para não ficar de braços cruzados diante desta situação é passar para frente um texto feito pelo professor Nazareno( como não consegui copiar ele aqui no blog, por favor entre no blog dele e leia) e pedir para que quando você se deparar com qualquer tipo de fogo, mesmo aquele pequeno, chamar os bombeiros e denunciar para a policia ambiental(só não vale acabar com o churrasco do vizinho e vir falar que fui eu quem disse pra fazer isso). Faço este pedido não só para as pessoas que moram aqui, mas para todos, pois não dá pra compactuar com a degradação da natureza e do meio ambiente.

Vou ficando por aqui pois o sono já bate forte nos meus olhos..
"Bote" para todos!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Castigos Físicos: Um texto para refletir!

Como estou meio sem tempo hoje para postar decidir dividir com vocês este texto do blog onde estão reunidos os textos publicados na Folha de São Paula do Contardo Calligaris, um psicanalista que muito admiro.Vale a pena ler este e os demais textos que lá se encontram.


Castigos físicos

UMA RECENTE pesquisa Datafolha (Folha, 26/7) mostra que, no Brasil, 69% das mães e 44% dos pais admitem ter batido nos filhos.

Parêntese. Os pais são tão violentos quanto as mães: simplesmente, eles passam menos tempo em casa e lidam menos com o "adestramento" dos filhos.

A pesquisa constata também que 72% dos adultos sofreram castigos físicos quando crianças. Como se explica, então, o fato de que 54% dos brasileiros se declaram contrários ao projeto de lei que proíbe os castigos físicos em crianças? Há várias hipóteses possíveis.

1) Talvez quem apanhou quando criança não queira perder o direito de se vingar em cima dos filhos.

2) Talvez não aceitemos a ideia de que os nossos pais tinham sobre nós uma autoridade maior do que a que nós temos ou teremos sobre nossos filhos.

3) Na mesma linha, talvez estejamos dispostos a apanhar dos superiores sob a condição de sermos autorizados a bater nos subalternos.

Nota: aceitar apanhar dos mais poderosos para poder bater nos mais fracos é a caraterística que resume a personalidade burocrático-autoritária do funcionário fascista.

4) A autoridade, dizem alguns com razão, sempre tem um pé na coação e recorre à força quando seu prestígio não for suficiente para ela se impor. Hoje, a autoridade simbólica dos adultos é cada vez menor. É provável que os próprios adultos sejam responsáveis por isso (principalmente, por eles se comportarem cada vez mais como crianças); tanto faz, o que importa é que o prestígio dos adultos não lhes garante mais respeito e obediência. Portanto, a palavra aos tabefes.

É um erro: o castigo físico acaba com a autoridade de quem castiga, pois revela que seu argumento é apenas a força. A reação mais sensata da criança será: tente de novo quando eu estiver com 15 anos e 1,80 m de altura.

Esses e outros argumentos a favor da palmatória não encontram minha simpatia. Até porque verifico que os rastos desses castigos não são bonitos. Mesmo um simples tapa é facilmente traumático tanto para o pai que bateu como para o filho: ele paira na memória de ambos como uma traição amorosa que não pode ser falada por ser demasiado humilhante (para os dois). Há pais violentos que passam a vida na culpa, e há crianças cuja vida erótica adulta será organizada pela tentativa de encontrar algum sinal de amor no sadismo dos pais.

Apesar disso, se tivesse sido consultado na pesquisa, provavelmente eu teria me declarado contra a nova lei, por duas razões.

A primeira (e menos relevante) é que existem violências contra crianças piores do que a violência física, e receio que uma lei reprimindo o castigo físico nos leve a pensar que, por assim dizer, "o que não bate engorda". Infelizmente, não é preciso bater para trucidar uma criança.

A segunda razão (e mais relevante) é que a nova lei não surge num contexto em que os pais teriam poder absoluto sobre o corpo dos filhos. Mesmo sem a nova lei, o professor que visse sinais de violência no corpo de um dos alunos avisaria à polícia e à autoridade judiciária. O mesmo valeria para o pediatra ou para o psicoterapeuta. Inversamente, um pai cujo filho fosse batido na escola processaria o professor e a instituição. Também, com um pouco de sorte, uma criança batida pode denunciar o adulto que a abusa.

Pergunta: para que servem leis que pouco mudam o quadro legal e só explicitam e particularizam proibições que já vigem de modo geral?

Essas leis me parecem ter sobretudo a intenção de afirmar, demonstrar e estender o poder do Estado na vida dos cidadãos.

Uma coisa aprendi com Michel Foucault: o poder moderno é raramente extravagante em suas exigências. Como ele não tem conteúdo específico, mas gosta apenas de se expandir, ele escolhe o caminho mais fácil, conquistando a adesão "espontânea" de seus sujeitos. Como? Simples: operando "obviamente" "pelo bem dos cidadãos" -no caso, pelo bem das crianças.

Resumindo:

1) sou absolutamente contra qualquer castigo físico; 2) sou também contra a extensão do poder do Estado no campo da vida privada, por temperamento anárquico e porque sou convencido que, neste campo, as famílias erram muito, mas o Estado, quase sempre, erra mais.

E aí, qual a sua opinião sobre a famosa "Palmadinha" e outros castigos físicos?


domingo, 8 de agosto de 2010

Mudança à Vista


Hoje tomei uma decisão interessante (na verdade nem é tão interessante assim). Resolvi excluir meu blog Devaneios Maternos e seguir postando somente por aqui. Por que tomei essa decisão? Desde o momento que descobri que esperava meu pequeno Heitor passei a me interessar pelo universo materno e acabei me empolgando muito com meu novo estado. Resolvi criar o Devaneios Maternos para falar exclusivamente da minha vivência como mãe e trocar figurinhas com outras mães blogueiras pelo Brasil afora.

Ocorre que, passado esta empolgação inicial, comecei a ver que a Luana Ugalde que vos fala, não consegue ser uma pessoa em partes. Não sou capaz de pensar, sentir e escrever somente sobre minha vida materna, pois todas as demais coisas que ocorrem no meu cotidiano contribuem para minha formação como mãe. Pensando justamente nisso é que resolvi me dedicar somente ao Devaneios Lunares, não na intenção de deixar de lado minhas aventuras maternas, mas devaneando acerca de tudo que ocorre nesse meu mundo da Lua.

Aos poucos deixarei o blog com a cara que me encontro no momento (Vai demorar um pouco pois primeiro preciso descobrir), por enquanto o que eu posso dizer é : DESCULPE O TRANSTORNO, É PARA ATENDÊ-LO MELHOR!


Mudando um pouco de assunto, hoje foi o Dia dos Pais e como quase tudo ultimamente, acabou não sendo tão legal devido a distância do Sr. Coruja(vulgo Corujão). Nos falamos por telefone e o Heitor fez um belo show de balbucios enquanto tentava comer o celular ao escutar o paizinho falar no viva-voz, mas sempre fica na minha mente como seria se nós estivéssemos juntinhos os três curtindo o primeiro dia dos pais da nossa família!
É engraçado ver alguma mudanças que a maternidade/paternidade nos causa, durante a minha visita ao Acre o Corujão demonstrou querer de presente do dia dos pais uma daquelas camisas que tem escrito "Pai nota 10!" ou coisas do tipo. Nunca imaginei que um dia escutaria ele comentar algo do gênero...ainda bem que fiquei viva para ver isso acontecer e confesso que achei o máximo!!! Lógico que já vou providenciar o presente que o Sr. Coruja deseja, pois não tem nada mais lindo que um pai exibindo seu orgulho!


Encerrando por hoje, desejo à todos os pais um ótimo dia, mês, ano e vida!!!E desejo o mesmo à algumas mães que possuem o árduo trabalho de ser mães e pais( se já cansa ter um papel só, imagina dois..).Depois conto como foi a semana em família, por enquanto vou deixar mais uma fotinha de lá um beijo especial no Pai do Ano!


sexta-feira, 18 de junho de 2010

Chame Ladrão, Chame ladrão!!

Quando eu era pequena nutria um estranho medo da polícia ( acho que tinha relação com a síndrome da castração, falo...essas coisas) que foi diminuindo na medida em que meus pais me faziam entender que ela prendia somente as pessoas que não podem viver tranquilamente em sociedade, ou seja, os "bandidos".
Na adolescência meu medo deu lugar à repulsa, simplesmente não suportava ver uma pessoa fardada de PM, achava pura hipocrisia aquela farda azul e a imagem de que eles cuidam da segurança da população, quando, na verdade, as pessoas que eles mais protegem são aquelas que mais prejudicam e colocam em risco a vida da população geral, ou seja, os políticos.
Acaba que a vida é uma caixinha de surpresa e eu acabei me apaixonando, casando e tendo um filho com um policial militar, o que de certa forma foi bom, pois pude ver o ofício através de um outro olhar. Através do olhar de quem gosta do seu trabalho e honra a tal da farda.
Apesar de eu discordar em vários pontos da cultura militar e de muitas atitudes dos policiais, acabei adiquirindo mais respeito à profissão e tomando até coragem para chamá-la nos momentos de medo, porém toda essa confiança no trabalho policial tem se esvairindo completamente nestes ultimos tempos.
Estou ficando cada dia mais indignada ao ver noticias constantes de ações policiais que terminam na morte de algum inocente. Mortes que poderiam ser facilmente evitadas, necessitando apenas de um pouco mais de bom senso e de um pouco menos do abuso de poder.
Cada dia mais eu, assim como a maioria da população, estou ficando com medo ao me deparar com uma viatura da polícia. Já não me sinto tão segura e fico pensando se eu seria tratada com respeito caso tivesse que ser abordada por eles.
Eu sei que não posso generalizar, até porque acredito que meu marido seja uma pessoa educada, e apesar do PM não poder tratar com floreios as pessoas suspeitas, espero que ele as trate com o mínimo de respeito. Sei Também que nem todos são corruptos, mas infelizmente a minoria podre da corporação tem se tornado mais visível que os bons profissionais.
Daqui a pouco vamos estar cantando como um dia já cantou Chico Buarque na época da ditadura:


"Acorda amor

Eu tive um pesadelo agora

Sonhei que tinha gente lá fora

Batendo no portão, que aflição

Era a dura, numa muito escura viatura

Minha nossa santa criatura

Chame, chame, chame lá

Chame, chame o ladrão, chame o ladrão"

(Acorda Amor,Chico Buarque)







segunda-feira, 31 de maio de 2010

"Meus heróis morreram de Overdose..."

Ultimamente tenho me questionado muito quanto aos hérois desta geração...quem são as pessoas dignas de serem lembradas nos ultimos tempos?Eu mesmo sou uma saudosista, daquelas que escuta Beatles e Cazuza e admira pessoas como Mandela e Renato Russo...

Cada dia mais vejo os jovens admirando pessoas completamente sem noção( e quando digo sem noção, é sem noção meeesmoooo), pessoas que não têm muita coisa para oferecer de interessante para a humanidade, pessoas de caráter(no mínimo) duvidoso e que fazem do seu ofício mexer a bunda ou falar meia duzia de besteiras.

Minha ultima revolta com os modelos da sociedade atual são os filmes biográficos, principalmente os filmes brasileiros. Do ano passado para cá ouvi que saíria o filme sobre a vida da Coco Chanel, aquela estilista de renome , vi um filme sobre o Mandela e aqui no Brasil foi recentemente lançado os filmes sobre a vida do LULA e do Chico Xavier. Até aí tudo normal,pois estas são/foram pessoas que fizeram diferença no mundo, cada qual ao seu modo.

Mas aí há pouco tempo atrás, na falta do que ver na tv aberta e  assistindo a Tv Fofoca, vulgo Tv Fama, vi, no mesmo dia, que está sendo negociado um filme sobre a vida do Cantor Belo (aquele que foi preso por tráfico de drogas) e que já foi rodado um outro sobre a vida da Bruna Sufistinha, aquela prostituta que lançou um livro(o.0) há um tempo atrás.

Agora eu pergunto: o que estes dois fizeram de tão interessante para merecerem ter sua vida retratada num filme com bons atores e diretores???? Será que agora estas são as pessoas que nos serve de modelo, pessoas que buscaram um modo mais fácil de crescer na vida???

Achei legal, quando lançaram o filme sobre a vida do Zezé de  Camargo e Luciano por que, querendo ou não, a vida destes dois é uma lição de perseverança para muita gente. Gostei mais ainda quando rodaram o filme sobre a história de Roberto Carlos Ramos, um homem que cresceu na vida através do amor pela leitura. Mas não consigo cogitar a hipótese de ver pessoas lotando as salas de cinemas pra idolatrar pessoas como Bruna Surfistinha, que coloca a "culpa" por ter começado a se prostituir no fato de ser adotiva, mesmo afirmando que a família que a adotou a criou bem, proporcionando experiências boas, e com amor e carinho.

Se as coisas continuarem assim farei como Renato Russo diz em uma de suas músicas:

"Não preciso de modelo, não preciso de hérois
  Eu tenho meus amigos e quando a vida dói
  Eu tento me concentrar no caminho fácil..."

terça-feira, 4 de maio de 2010

Jornada Tripla

Desde o nascimento de Heitor tenho tentado fazer o malabarismo de conseguir conciliar três papéis importantes no meu dia: Mãe, amélia e estudante!Essa tem sido uma jornada super dificil, pois parece que o meu dia se reduziu à 4 horas, sinceramente não sei onde foi parar as outras 20h!
Cuidar do Heitor tem sido a parte mais gostosa do meu dia, mas confesso que gasta bastante tempo. Depois de colocá-lo pra dormir ainda tem fraldas e roupinhas para lavar e passar, quarto para a arrumar, louça pra lavar (ai, me canso só de pensar nisso tudo), enfim...
Depois de terminar tuuuudo isso ainda tenho que ler meus textos do estágio curricular, mas quando penso em começar a lê-los já são 22h e estou morta de cansada e já tem outra remersa de fraldas pra lavar antes de dormir.
Tenho que conseguir me organizar o mais rápido possível pra dar conta das minhas leituras, já estou perdendo as orientações em sala de aula e nas práticas dos estágios, não posso ficar para traz nos textos pq senão não darei conta de tudo qndo minha licença maternidade terminar!




terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

"O pavor da solidão é maior que o medo da escravidão: assim, nos casamos. " ( Cyril Connolly )



Estava viajando por alguns blogs e sites e me deparei no site "Não dois, não um" com algumas dicas para casais que moram juntos. Como faço parte deste grupo há 3 anos( apesar de neste exato momento experimentar o tão temido relacionamento à distancia) logo me interessei pelo tema e nele encontrei uma dica que causou um pouco de dúvidas nos leitores do site, mas me fez ter uma leitura filosófica, a dica era a seguinte:

9. Casem

Antes de morar junto, por favor, casem. A mudança dos móveis consolida um casamento de qualquer modo, apenas admitam e superem qualquer aversão a essa instituição falida. Ela ainda movimenta o imaginário coletivo: mesmo para os casais mais moderninhos, a afirmação “somos casados” é bem diferente do que “moramos juntos”. Além disso, morar junto sem festa de casamento e lua-de-mel é como ir a praia, enfrentar trânsito para chegar, ser picado por mosquitos, pagar caro pelo guarda-sol e não entrar no mar. É cair na pior parte do casamento sem aproveitar a melhor. Se não quiserem enfrentar papéis e não simpatizarem com religião alguma, apenas celebrem: chamem os mais próximos, dancem, se declarem publicamente ao som da música mais linda e comecem uma vida a dois só depois de chegar do aeroporto.


Não concordo com tudo que ele diz mas pegando a linha de pensamento da dica, acredito que as pessoas ao decidirem morar juntos deveriam se casar sim... mas não com festas, rituais religiosos ou acordos nupciais. Elas deveriam casar-se, um com outro, de corpo e alma.

Vemos cada vez mais casais que passaram por todos os ritos de passagem da solterisse para a vida de casado que não conseguem aproveitar as coisas boas que a vida à dois podem oferecer, como o companheirismo, a cumplicidade e os belos imprevistos da vida cotidiana, na maioria das vezes cômicos(ou pelo menos um bom episódio de uma tragi-comédia) pelo simples fato de, apesar dos votos e assinaturas não terem se comprometido de fato com a pessoa que decidiu dividir sua vida, mesmo que seja por um tempo.

Têm se tornado cada vez mais comum pessoas casadas não terem absolutamente nada em comum em suas vidas, a não ser a cama que dividem( as vezes só para dormir mesmo) no fim do dia. Elas não possuem o mesmo ciclo de amizades, não frequentam os mesmo locais e nem trocam idéias sobre o que aconteceu no seu dia. Parece que, nestes casos, o casamento continua sendo um acordo econômico, onde juntamos nossas rendas para tentar fazê-las ter lucros e, então, termos a possibilidade de um vida mais confortável.

Pensando desta forma, é claro que o casamento terá essa imagem de instituição falida. Não estou falando que tudo deve ser igual à época do namoro, mas por que não tentar manter aquelas coisas que mais fizeram você ter o desejo de dividir sua casa e sua vida com seu escolhido(a)?

Acho que a vida já é tão dura que se não tentarmos fazer a nossa parte para que a vida à dois seja mais gostosa, as piadas infames sobre casamento se tornarão a mais pura verdade em nossa, mas sem aquela risada no final, pois a desgraça só se torna engraçada quando já se passou um tempo desde o acontecido ou quando acontece com o outro!




quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Eu fiz dois anos de estágio no Setor Psicossocial das Varas de Família, onde encarava diáriamente brigas familiares de todo o tipo que se possa imaginar: brigas por pensão, por guarda, por querer ser o pai da criança, por NÃO querer ser o pai da criança, pra ver quem ficaria com guarda delas, ou pra empurrar a guarda da mesma pra qualquer um que não ele(a).Irmãos brigando pra ver quem cuidaria dos pais, outros pra ver quem receberia a pensão gorda do idoso, enfim, lidei neste período com histórias bonitas, trágicas, cômicas e revoltantes.

Neste período aprendi muito sobre as relações familiares e sobre aqueles aspectos que não conseguimos ver ou compreender à primeira vista. Aprendi, por exemplo, que muitas pessoas iniciam um processo judicial de guarda por não quererem se ver livre do ex-parceiro e a briga é a unica maneira encontrada para que eles ainda mantenham algum tipo de relação. Vi que muitos casos de crianças criadas pelas avós fazem parte de um ciclo vicioso onde há uma tentativa de compensar um erro do passado, mas que acaba culminando em erros muito maiores no presente.

Mas vi, principalmente, que a incapacidade dos adultos conseguirem se entender com o mínimo de civilidade faz da criança a maior vítima dentre todos os envolvidos na tal briga. Ver seus pais bringando entre si começa o primeiro prejuizo para ela, pois a criança fantasia que terá que escolher um dos pais como o certo e o outro como o errado (isso quando ela não é de fato obrigada a fazer esta escolha, até mesmo perante o juíz). Depois de dado inicio no processo, onde no fim haverá um vencedor e um perderdor, apesar de isso não ser dito às claras, iniciam-se as campanhas pelo vilão da vez, onde o primeiro eleitor que tenta ser convencido disto é, mais uma vez, a criança.
Depois de muito desentendimento, disse me disse, e outras "cositas" mais vai ficando cada vez mais confuso na cabeça dos filhos a imagem de seus pais que ele tinha inicialmente, como aqueles que o amarão e protegerão acima de qualquer coisa. Quem será que me ama? quem me quer realmente junto dele?será que sou eu o culpado por toda essa briga?será que se eu escolher morar com a minha mãe meu pai não vai mais me amar?

Hoje sei que quando se trata de família não há briga pior (e mais injusta) na justiça, pois há uma tentativa de encontrar alguém que seja mais correto, ou que tenha mais razão onde, na verdade, nenhuma das partes estão totalmente com a razão ou são completamente corretas, mas são vítimas da complexidade de se envolver emocionalmente e familiarmente uns com os outros. Onde todos estão dispostos a dar o melhor de si, desde que também recebam o melhor daqueles que quer bem.




sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Espelho, espelho meu....


Existe alguém mais magra do que eu??

Essa tem sido a pergunta de muitas meninas e mulheres(e tbm mais homens têm entrado nesta paranóia) hoje em dia.
Vendo os jornais hoje me deparei com a reportagem sobre o SPFW onde as modelos estão parecendo mais magras do que o ano passado. Isso já não deveria assustar tanto, pois estamos vendo na tv cada vez mais mulheres "magérrimas" sendo consideradas ícones da beleza, mas o que me deixou assustada é saber que muitas modelos de passarelas tem o Indice de Massa Corporal desejado para uma criança!!!Eles ficam tão preocupados com a magreza delas que esquecem da beleza que elas deveriam ter, pois hoje mesmo uma das modelos entrevistadas (consideradas um bom exemplo pela reportagem) não tinha nada demais no rosto, podendo ser considerada até feinha...mas foi ela que os defiles das marcas mais famosas.

Que beleza tem isso esta que eles estão buscando??

Cara, tudo bem, não sou fã de banhas e me preocupo quando a roupa que ficava legal em mim começa a dar trabalho pra entrar, mas esse culto à magreza tem tido uma repercução terrivel na vida das meninas, e não somente daquelas que almejam uma vida de modelo, mas daquelas que somente desejam um dia ter um namorado e/ou não serem consideradas "aberrações".
Com toda essa idéia de que para ser bonita têm de ser magra, as meninas passam a acreditar que sempre precisam emgrecer, desta vez não somente os 2kg de sempre, mas 5kg, 8kg e até 10kg para poderem ficar mais bonitas. O pior é que para chegarem ao peso estimado por elas a saída não está em praticar esportes ou fazer algum tipo de atividade física, mas reduzir a alimentação ou usar a conhecida indução de vômito como método compensatório da "orgia" alimentar...
Eu não sei vocês mas estas duas práticas são conhecidas por mim como características gritantes daquelas duas doenças...a tal da anorexia e bulimia!


quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Coisas de Mãe...

Vi esse vídeo no youtube e simplesmente fiquei apaixonada por ele! pela música, pelas crianças...e pela banheirinha que parece acalmar os pequeninos!!! :P
Vídeo lindo!
video

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Devaneio de Inicio de ano...

Finalmente voltei a dormir no meu quarto!
Após 2 meses morando novamente com a minha mãe, ontem consegui organizar o que faltava para que eu pudesse me instalar de fato no quarto que foi reservado para mim...Nem acredito que voltei a dormir numa cama, na hora que o sono chegou de fato, sem o entra e sai que me faz passar a noite toda acordando ou, pior, a noite toda acordada.
Eu não sou tão chata quanto possa parecer, mas imagine o revesamento de saídas noturnas de sua mãe e irmã, somado com a sua constante mudança de posição na cama devido ao tamanho da sua barriga que não permite mais nenhuma posição confortavel durante a noite toda,some a isso tbm o fato do seu bebê achar que cada movimento que você dar tentando dormir é uma festa, e que ele tem que dançar tbm e por isso passa mais meia hora chutando ou fazendo algo parecido( é, meu filho será das festas noturnas, já estou me acostumando com a idéia!). Ah! fora a SUA vontade de ir ao banheiro que faz com que vc tenha que fazer movimentos acrobáticos para poder levantar( é uma sena hilária, pode acreditar!)... Agora me diz, quem é que consegue dormir assim???

Mas a melhor parte de voltar para o meu quarto é a possibilidade de ficar algum tempo sozinha com meus pensamentos. Apesar de acreditar que pensar deprime tenho sentido necessidade de ter um tempo para refletir sobre tudo que está ocorrendo neste momento da minha vida e de tentar me preparar emocionalmente para mais um monte de coisas que vai ocorrer num futuro bem próximo.

Este tem tudo para ser um ano de muitas novidades para mim, mas como toda coisa nova também será um ano de novas responsabilidades (e elas não serão poucas). Tenho a chegada do meu filhão e para ele quero dar o melhor como mãe; tenho também o ultimo ano do curso de psicologia, que já carrega por si só muitas novas responsabilidades, como clientes, leituras e duas monografias (aaaaaaaahhhhhhhhh!!) e ainda tenho que arrumar tempo entre ser mãe e aluna para ser empregada, pois preciso de um emprego para não ficar completamente depende dos meus pais e do meu marido( que está morando em outro estado).

Oh Jah!só de pensar nisso me dá três tipos de medo diferentes...mas apesar de parecer impossível à primeira vista fazer todos esses papeis, sei que consigo realizar essas tarefas se eu puder incorporar no meu cotidiano duas palavrinhas: ORGANIZAÇÃO E DISCIPLINA.

Se eu passar a me guiar através destas duas palavras este não será o ano em que chegará a noticia da minha internação na ala psiquiátrica do Hospital de Base devido à um surto psicótico!Mas falando sério, sei que este ano tem muitos frutos para eu colher, só preciso me organizar para colhê-los no tempo certo, pois assim nenhum deles perderá o gosto bom que eles possuem, né?!

Ai, ai, que venha 2010!!!