terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

"O pavor da solidão é maior que o medo da escravidão: assim, nos casamos. " ( Cyril Connolly )



Estava viajando por alguns blogs e sites e me deparei no site "Não dois, não um" com algumas dicas para casais que moram juntos. Como faço parte deste grupo há 3 anos( apesar de neste exato momento experimentar o tão temido relacionamento à distancia) logo me interessei pelo tema e nele encontrei uma dica que causou um pouco de dúvidas nos leitores do site, mas me fez ter uma leitura filosófica, a dica era a seguinte:

9. Casem

Antes de morar junto, por favor, casem. A mudança dos móveis consolida um casamento de qualquer modo, apenas admitam e superem qualquer aversão a essa instituição falida. Ela ainda movimenta o imaginário coletivo: mesmo para os casais mais moderninhos, a afirmação “somos casados” é bem diferente do que “moramos juntos”. Além disso, morar junto sem festa de casamento e lua-de-mel é como ir a praia, enfrentar trânsito para chegar, ser picado por mosquitos, pagar caro pelo guarda-sol e não entrar no mar. É cair na pior parte do casamento sem aproveitar a melhor. Se não quiserem enfrentar papéis e não simpatizarem com religião alguma, apenas celebrem: chamem os mais próximos, dancem, se declarem publicamente ao som da música mais linda e comecem uma vida a dois só depois de chegar do aeroporto.


Não concordo com tudo que ele diz mas pegando a linha de pensamento da dica, acredito que as pessoas ao decidirem morar juntos deveriam se casar sim... mas não com festas, rituais religiosos ou acordos nupciais. Elas deveriam casar-se, um com outro, de corpo e alma.

Vemos cada vez mais casais que passaram por todos os ritos de passagem da solterisse para a vida de casado que não conseguem aproveitar as coisas boas que a vida à dois podem oferecer, como o companheirismo, a cumplicidade e os belos imprevistos da vida cotidiana, na maioria das vezes cômicos(ou pelo menos um bom episódio de uma tragi-comédia) pelo simples fato de, apesar dos votos e assinaturas não terem se comprometido de fato com a pessoa que decidiu dividir sua vida, mesmo que seja por um tempo.

Têm se tornado cada vez mais comum pessoas casadas não terem absolutamente nada em comum em suas vidas, a não ser a cama que dividem( as vezes só para dormir mesmo) no fim do dia. Elas não possuem o mesmo ciclo de amizades, não frequentam os mesmo locais e nem trocam idéias sobre o que aconteceu no seu dia. Parece que, nestes casos, o casamento continua sendo um acordo econômico, onde juntamos nossas rendas para tentar fazê-las ter lucros e, então, termos a possibilidade de um vida mais confortável.

Pensando desta forma, é claro que o casamento terá essa imagem de instituição falida. Não estou falando que tudo deve ser igual à época do namoro, mas por que não tentar manter aquelas coisas que mais fizeram você ter o desejo de dividir sua casa e sua vida com seu escolhido(a)?

Acho que a vida já é tão dura que se não tentarmos fazer a nossa parte para que a vida à dois seja mais gostosa, as piadas infames sobre casamento se tornarão a mais pura verdade em nossa, mas sem aquela risada no final, pois a desgraça só se torna engraçada quando já se passou um tempo desde o acontecido ou quando acontece com o outro!




3 comentários:

Anônimo disse...

Achei interessante a idéia de celebrar como se fosse um casamento, mesmo sem papéis... fica só a comemoração sem a burocracia, quer coisa melhor?! :)
Acho que não só no casamento quanto em qualquer outra relação, podemos notar uma queda na capacidade das pessoas de se envolverem realmente com o outro, de dedicar-se a algo que não seja 'eu' mais profundamente.

Eu é que estou adorando seus textos! quando acaba eu fico, "poxa, ela poderia ter escrito mais"..
Sempre passo por aqui.. continua escrevendo que eu vou pegando suas dicas.. hehehehe
Beijo, Bru!
Kathe

Dama de Cinzas disse...

Meu medo do casamento é maior do que qualquer outro... rs

Já casei duas vezes, do tipo indo morar junto, sem festas nem foguetes... rs... Posso dizer que no início dos dois casamento foi bem legal. Não senti falta de um marco, de uma cerimônia, nem nada disso! E se casar uma terceira vez vai ser do mesmo jeito!

Beijocas

Purpleing. disse...

Olá, eu sei que o post é antigo, mas eu li e estava escrevendo um texto enorme aqui, quando vi que eu podia fazer umpost.
Achei interessante, sabe, sua opnião.
Na realidade, eu não li tudo o que vc escreveu, vou ver se leio, sou muito impaciente e invariavelmente eu pulo metade das linhas.
mas li a primeira, e ela me animou a fazer o post, pois discuti esse tema com varias mulheres (num chá de comadre) faz menos de um mes...! :D
enfim, apenas pra dar os creditos pela ideia, querida :D
passe lá, caso esteja interessada, e eu linkei você, caso alguém queira ver o seu post okay?
bjos :D


http://purpleing.blogspot.com/2010/06/e-foram-felizes-para-semprepuah.html